Lomadee

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

sexta-feira, 27 de abril de 2007

Homem,Mulher e Viado - Frente a 10 situações

Homem,Mulher e Viado - Frente a 10 situações

1. Diante de uma Barata:
Homem: Ah, se eu não estivesse descalço
Mulher: Socorro! Uma barata
Viado: Alô!!! É do Corpo de Bombeiros?…

2. Diante de um belo Homem:
Homem: é Viado!
Mulher: É um Deus!
Viado: É Meu!

3. Diante de uma bela Mulher:
Homem: Gostosa!
Mulher: Gorda!
Viado: Traveca!

4. Quando está amando:
Homem: Peça o que você quiser.
Mulher: Eu te amo.
Viado: Como você reagiria se por acaso soubesse que outro homem está gostando de você?

5. Ao ver uma partida de futebol:
Homem: Que golaço
Mulher: Que saco!
Viado: Que pernas!

6. Quando são traídos:
Homem: Eu não gostava mesmo de você!
Mulher: Eu te odeio!
Viado: Que tal nós três?!

7. Quando estão com muito dinheiro:
Homem: Hoje vou sair com os amigos!
Mulher: Hoje eu vou ao shopping!
Viado: Hoje ele me ....!

8. Quando vão ao cabeleireiro:
Homem: Corta!
Mulher: Apare só as pontas.
Viado: Quero igualzinho ao dela!

9. Quando acordam:
Homem: Estou com fome!
Mulher: Estou horrível!
Viado: Onde estou?

10. Quando estão num estádio de futebol:
Homem: FDP !!! CORNO !!! DESGRAÇADO !!! JUIZ DO C***** !! @#$%¨&*(
Mulher: Porque ninguém passa a bola para aquele que tá com o apito?
Viado: Lá lá laia laia… Ohhh meu time… Vamo querido, Vamo ser Campeão.

quinta-feira, 26 de abril de 2007

quarta-feira, 25 de abril de 2007

Normose ???

Normose ???

Ontem na faculdade, era dia de avaliação na cadeira de OSM, deveríamos apresentar um trabalho com um tema qualquer, dentre os diversos temas apresentados, este me chamou atenção: Normose.
Esse termo foi forjado na França por Jean Yves Leloup.
Que é a classificação que se dá para o estágio em que os seres humanos, por não compreenderem a realidade que lhes cerca, terminam por “aceitar” essa realidade como uma coisa “normal”, tornando-se uma pessoa normótica (acomodada, resignada), que a tudo vê e adapta-se sem reação. Por ignorância, por comodismo ou por pura alienação.
Alguns exemplos de normose: o cigarrinho depois (ou antes) do cafezinho. Além de viril, o cigarro confere um ar de desenvoltura àquele que fuma. E o chopinho da sexta feira? Este é sagrado. Não mata, mas pode dar uma barriguinha. E a capirinha? E o baseado? Não tem problema, todo mundo faz! Por que não? E depois, o que vão pensar de mim?
A normose leva a hábitos inconscientes perniciosos, como o hábito natural de comer arroz polido, pão branco, café, carne, açúcar branco, ovos com hormônio, tranquilizantes, mania de remédios , som bem alto, etc., etc. A normose na agricultura leva ao hábito dos agrotóxicos, das queimadas, da crença de que a fertilidade da terra é inesgotável; na educação, gera métodos de ensino que levam à produção de autômatos em série; na política, a prática normal da corrupção pela ausência natural de valores éticos; na relação entre os sexos, o machismo, que é a crença numa supostamente natural superioridade do homem sobre a mulher.

Deus u livre !!! Será essa a doença do século ???

terça-feira, 24 de abril de 2007

Crise de Identidade

Crise de Identidade

Qual é a sua identidade, quem você realmente é?

Segundo o Aurélio, identidade significa:
Substantivo feminino.
1.Qualidade de idêntico.
2.Os caracteres próprios e exclusivos de uma pessoa: nome, idade, estado, profissão, sexo, etc.
Então me pergunto quantas pessoas sabem ou me chamam pelo meu nome ou mais interessante ainda, quem saberia, além de meus pais e eu naturalmente, o meu nome completo, pois:
Na ficha do dentista, apareço como cliente.
No restaurante, sou freguês.
Quando alugo uma casa, sou inquilino.
Na condução, sou passageiro.
Nos correios, sou remetente.
Na casa dos pais, sou Filho(a).
Na Loja Maçônica , sou Irmão.
Na Faculdade, sou estudante.
No supermercado, sou consumidor.
Para a Receita Federal, sou contribuinte.
Com o prazo vencido, sou inadimplente,
Se não pago, sou sonegador.
Para votar, sou eleitor.
No comício, sou massa.
Em viagem, sou turista.
Na rua, caminhando, sou pedestre,
Se me atropelam, viro acidentado.
No hospital, me transformo em paciente.
Para os jornais, sou vítima.
Se compro um livro, viro leitor.
Se ligo o rádio, sou ouvinte.
Para o IBOPE, sou espectador.
No futebol, eu, que já fui torcedor, virei galera.
E, quando morrer, ninguém vai se lembrar do meu nome:
Vão me chamar de finado, extinto, defunto, de cujus e, em certos círculos,
até de desencarnado.
E pior para o governo sou Imbecil.

sábado, 21 de abril de 2007

25 razões para você achar chocolate melhor que sexo

25 razões para você achar chocolate melhor que sexo

01. O chocolate satisfaz mesmo quando amolece.
02. Você pode comer chocolate no carro, sem ser interrompido pelo guarda.
03. Você pode comer chocolate na frente da sua mãe.
04. Se você morder com força, o chocolate não grita e não reclama.
05. Duas pessoas, do mesmo sexo podem comer chocolate sem serem chamadas por nomes feios.
06. Chocolate não reclama que você o comeu muito rápido.
07. Você pode pedir chocolate a alguém sem levar um tapa na cara.
08. Chocolate lambuza, mas não lhe deixa com nojo.
09. Você não precisa mentir para o chocolate.
10. O chocolate não liga se você é virgem ou não.
11. Você pode comer chocolate quando está menstruada.
12. Você pode comer chocolate em qualquer dia da semana.
13. Um bom chocolate é fácil de se encontrar.
14. Você nunca é muito jovem ou muito velho para comer chocolate.
15. Quando você come chocolate, os vizinhos não ouvem.
16. O tamanho do chocolate não importa, apenas o prazer que ele proporciona.
17. O chocolate cheira bem.
18. Não é difícil comer chocolate pela primeira vez.
19. Você pode levar o chocolate na bolsa.
20. Você pode comer chocolate a vontade, que nunca vai engravidar.
21. Chocolate não transmite AIDS.
22. Você não precisa usar camisinha para comer chocolate.
23. Se o seu filho lhe vir comendo chocolate, não vai ficar fazendo perguntas constrangedoras.
24. Ninguém termina um casamento por falta de chocolate.
25. Você não precisa esperar quase uma hora para comer outro.

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Os 25 horrores da TI de todos os tempos - Parte Final

Esta é a última "historinha"....

Histórias de horror em TI: tudo mais que pode dar errado

Reclamações em massa
Era para ser um projeto de 25 milhões de dólares bem investidos em tecnologia e conduzido pelo Escritório de Serviços Médicos da localidade de Maine (EUA). No entanto, ao contrário, a verba polpuda resultou apenas em uma enxurrada de reclamações. O sistema não contabilizou milhares de solicitações de consultas de pacientes e deixou de registrar também várias cobranças de consultas. Dessa forma, centenas de médicos e dentistas chegaram à beira da falência, ao passo que pacientes foram deixados de fora dos consultórios. Na verdade, o sistema que era para ser um exemplo de modernidade de saúde fez com que Maine fosse o único Estado a não conseguir cumprir as regras da HIPAA, regra de governança no setor de saúde.

Infestações sorrateiras: razões para ter medo
Uma nova infecção aparece. Alastra-se como gripe em uma pré-escola e depois evapora rapidamente. Pânico, certo? Estranhamente, a praga Witty atingiu computadores dessa forma, mas provou quase ranger de dentes de temor do que poderia estar por vir. Os números e métodos não foram tão aterrorizantes. O Witty atacou apenas 12 mil computadores e usou uma vulnerabilidade comum para invadir. Mas o diabo realmente está nos detalhes: o Witty foi 100% eficaz e derrubou quase toda máquina vulnerável na internet dentro de 45 minutos, além de ter infectado 110 servidores nos 10 primeiros segundos. O Witty não deu socos tão doloridos no primeiro ataque, mas seqüelas da ameaça mostraram que ainda devemos permanecer em alerta.

Tela azul da morte e o alvo Bill Gates
Três regras devem ser levadas para a vida toda.
1) A febre da criança irá desaparecer assim que você chegar ao médico.
2) O carro não fará aquele barulho engraçado quando for ao mecânico.
3) O software sempre falhará no meio de uma demonstração.
O líder da Microsoft, Bill Gates, se tornou a vítima mais famosa dessa última constatação. Durante uma exibição na Comdex de 1998 ele tentava demonstrar a versão ainda não oficial do Windows 98 quando apareceu a fatídica "Tela Azul da Morte", após um co-palestrante ter plugado um escaner para demonstrar as funcionalidades plug-and-play (vulgo conecte e reze, plug-and-pray, em inglês). Gates pareceu levar a situação com bom humor, mas nenhuma palavra sequer foi pronunciada sobre o incidente posteriormente. De fato, os números mostram que não havia preocupação posterior: o Windows 98 vendeu 25 milhões de cópias no mundo em apenas seis meses do lançamento.

Brigas que parecem não terminar jamais
Esse drama é um alerta para qualquer companhia que esteja mirando uma implantação grande e complexa de software utilizando o apoio de consultores. O pesadelo de 10 anos do Oklahoma City Water Trust com seus consultores mostra como é fácil para esses projetos terem um resultado terrível e quão doce pode ser a revanche judicial.

O apocalipse nunca
Combine tendências excessivas com preparação inadequada e você terá a receita para.... uma bolha de horror. A tese do Bug do Milênio dizia que milhões de sistemas de computadores perderiam a sanidade em 1 de janeiro de 2000. Basicamente, levou-se a pensar que incidente conduziria o mundo a um colapso imenso, no qual nem Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis e Sigourney Weaver poderiam nos salvar.

Graças a muito café, hora extra e alguns desembolsos motivados pelo medo, profissionais de TI ao redor do mundo conseguiram dar um patch correto para cada sistema crítico antes do prazo. Claro, houve alguns problemas esporádicos, mas estivemos longe da fase de se trancar no porão.

Clique aqui e veja todas historinhas direto da fonte.

Fonte: Computerworld

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Os 25 horrores da TI de todos os tempos - Parte 4

Histórias de horror em TI: (des)casos de governo

O escritório que se perdeu no tempo
Imagine voltar no tempo no trabalho e ter que fazer seu trabalho apenas com ferramentas tecnológicas do século 20. Pode ser engraçado desde que o trabalho em questão não seja o seu, certo? O Departamento do Interior dos Estados Unidos foi reprovado em um teste de segurança feito por um painel da Câmara e foi obrigado a desligar sua conexão de internet e e-mail até que questões de segurança fossem resolvidas. Os usuários foram desconectados por mais de dois meses e os funcionários simplesmente pararam no tempo. Não era um dos ambientes mais agradáveis para se trabalhar. Tem alguma dúvida?

Como explicar o inexplicável
O Departamento dos Antigos Combatentes (Department of Veterans Affairs) norte-americano registrou o roubo de um laptop três dias depois dele ter, de fato, desaparecido de dentro da casa de um funcionário do órgão. Detalhe: com um disco rígido lotado de dados pessoais de nada menos do que 26,5 milhões de outros veteranos. O departamento alegou posteriormente que recuperou o laptop com os dados intactos. Três homens foram presos, mas foi o deles o único comportamento criminoso? A seqüência de eventos mostrou episódios no mínimo estranhos: vários executivos renunciando aos cargos, além de um pipocar de processos e legislações mais reforçadas. No entanto, ainda existem questões pendentes de investigação.

Por trás do detetive
Ele pode estar aqui para proteger as pessoas, mas quem está protegendo o FBI? Bem, 170 milhões de dólares de um sistema de impressão digital superfaturado. Mais 103 milhões de dólares também superfaturados de um sistema de rastreamento de dados para a polícia local e outros 170 milhões de dólares gastos completamente em um sistema de de Arquivo Virtual de Casos que nunca foi entregue. Detalhe essa seria a primeira arma contra o terrorismo.

Um código quase na terceira idade
Pode parecer piada, mas não é: os registros dos impostos dos contribuintes norte-americanos estão armazenados em um sistema com código datado de 1962. Quatro CIOs em sete anos tentaram desfazer o destino do Serviço Interno de Receitas (IRS, na sigla em inglês), cada um sofrendo, porém, a mesma sentença...

Sem saída (literalmente)
Pegos em uma armadilha em seu próprio país, os cidadãos britânicos foram mantidos em cativeiro por causa de uma "modernização governamental em TI" que acabou despedaçando um processo até então relativamente tranqüilo. Basicamente, alongou o tempo de solicitação de dados para passaporte mais do que a duração de uma partida de futebol americano.

Fonte: Computerworld

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Os 25 horrores da TI de todos os tempos - Parte 3

Histórias de horror em TI: casos que só Deus explica

Embora a TI seja apontada como culpada por diversas catástrofes que acontecem nas empresas, existem casos em que a tese não é verdade.

E o furacão levou...
Abrigos arrebentados por causa do vento, casas destelhadas, veículos inundados, animais de estimação ensopados e pessoas em estado miserável. O público costuma atribuir tais cenas ao Furacão Katrina e a sua irmã Rita, que varreram os Estados Unidos no verão de 2005. Escondida de tudo isso ficou a TI, que desempenhou papéis significativos tanto no colapso quanto na recuperação. No mundo conectado, os sistemas de TI caem como dominós. Executivos das organizações baseadas na Costa do Golfo deram inúmeras declarações sobre como lidaram com o furacão do século e como conseguiram sustentar as operações.

Fantasmas regulatórios
Sarbanes-Oxley. Novas regulamentações para supply chain. Mais mandados de privacidade. Auditorias de TI. Francamente: bom senso ou um monstro Frankenstein? A visão depende de que lado da compliance você e seus negócios estão. Ou você está lidando com essas regulamentações ou está xingando os criadores. Os novos regulamentos não quiseram simplesmente manter você acompanhando todos os debates e perdendo noites de sono, mas no final, você sabe que geralmente é o CIO e seus funcionários que estão com o pescoço em risco quando a auditoria aparece novamente, inevitável como a lua cheia. Mas é nesse momento que alguns centros de apoio aos CIOs aparecem como a salvação. E com isso, os fantasmas vão embora.

Tudo escuro
14 de agosto de 2003. 16h12. Em questão de segundos é registrado o maior incidente de falta de energia elétrica da história dos Estados Unidos, deixando às escuras a área entre Detroit e Nova York - além de parte do Canadá. Cerca de 50 milhões de pessoas ficaram sem energia elétrica, mas o mundo continuou a rodar. Companhias precisaram acessar seus data centers. Funcionários precisavam atingir seus gerentes, colegas e familiares. Moradores nervosos corriam nas ruas escuras em busca de um caixa eletrônico para guardar dinheiro. Executivos de TI trataram logo de encontrar uma nova perspectiva sobre seus planos de continuidade de negócios. Os mais espertos estavam prontos. Os menos sortudos foram deixados no escuro.

O dia do terror
A articulação e a realidade cruel dos ataques ao World Trade Center em 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos aterrorizaram pessoas ao redor do globo. Milhares ficaram em choque. Outras tantas ficaram sem emprego. Quando os terroristas embarcaram nos aviões naquele dia, a intenção não era simplesmente matar pessoas e destruir prédios: o atentado era contra a economia norte-americana. Em nenhum lugar do mundo a TI foi mais afetada do que no distrito financeiro de Nova York, especificamente em Wall Street. Executivo da American Express, Lehman Brothers e Merrill Lynch informa que as lições aprendidas sobre recuperação de desastres foram muito úteis para a situação.

O desmaio dos bipes
O Galaxy 4 girava sem controle. Era 19 de maio de 1998 e muitos consideraram que aquela era a maior falha digital da história: o satélite Galaxy 4 de telecomunicações - que hospedava serviços de pager, redes de televisão e aplicações de serviços financeiros – havia pirado. Um fluxo intenso de elétrons pode ter causado a falha nos sistemas de controle de altitude e em seus backups, o que prejudicou o funcionamento. O problema levou ao chão CIOs e profissionais de TI que dependiam de bipes e serviços similares de comunicação instantânea. Dessa forma, 45 milhões de pagers ficaram sem funcionar, e não puderam encontrar capacidades em outros satélites.

Fonte: Computerworld

terça-feira, 17 de abril de 2007

Os 25 horrores da TI de todos os tempos

Continuando as histórinhas....

Histórias de horror em TI: o que decisões erradas podem fazer

Perdidos para sempre
Todos nós já perdemos pelo menos um ou dois e-mails importantes na vida. Um clique casual da tecla "delete", um servidor mal configurado e pronto! Lá vai a mensagem por água abaixo. Mas como explicar 700 Gigabytes (GB) de e-mails eliminados por toda a eternidade? Sim, aconteceu. Em 2006 o provedor britânico PlusNet perdeu 700 GB de e-mails de clientes. Um engenheiro deletou acidentalmente as contas e tentou um velho truque para recuperá-los. A tentativa saiu pela culatra e, ao contrário, impossibilitou a recuperação de forma permanente.

Quando o retorno dói
Voltar para casa é, às vezes, difícil. O JPMorgan Chase que o diga, comparando sua situação antes e depois do outsourcing. Em 2002 a instituição fechou um contrato de nada menos do que 5 bilhões de dólares em terceirização com a IBM, e foi apontada como uma das grandes promessas do futuro em termos de corte de custos e inovação. Mas depois de o JPMorgan ser adquirido pelo Bank One ficou claro que a decisão não era um grande negócio. Em um episódio embaraçoso, muito do que foi terceirizado retornou para casa em 2005. Resultado: o custo foi grande em dólares, a confiança dos funcionários caiu e a moral ficou em ruínas, além de grandes talentos que já haviam sido perdidos.

Um pesadelo às vésperas do Natal
Desde o ano de 1997, pelo menos, a Comair - companhia aérea subsidiária da Delta - sabia que precisava substituir um velho sistema de gerenciamento de vôos destinado à tripulação. Mas as opções para novos sistemas estavam ainda cruas ou não testadas. "Vamos esperar até alguma coisa melhor aparecer", diziam.

Aí está onde a música de terror começa. Eles continuaram esperando, adiando, carregando o sistema legado até que assinaram um contrato para substituí-lo completamente em 2005. Tarde demais. Na véspera do Natal de 2004, o sistema que estava prestes a ser substituído foi ao colapso, derrubando todas as operações da companhia aérea. O balanço contabilizou cancelamento ou atraso de 3,9 mil vôos, o que deixou cerca de 200 mil passageiros na mão. O colapso na rede custou à Comair e à Delta cerca de 20 milhões de dólares, além de um arranhão notável na reputação da companhia. O incidente também desencadeou investigação pelo Departamento de Transporte.

De volta aos manuscritos
O CareGroup desenvolveu uma reputação desejada por muitos por ser líder em utilizar a TI para conduzir melhorias nos serviços à saúde. Mas em novembro de 2002, o principal hospital do CareGroup - Beth Israel Deaconess - voltou às trevas com registros dos pacientes em papel depois de uma série debilitadora de falhas nas redes. Por quase cinco dias o departamento de TI teve que trabalhar freneticamente para rastrear a causa do problema.

Segunda-feira negra em Wall Street
A vida é melhor com a tecnologia. Sim, isso é o que tende a acontecer. No entanto, na "segunda-feira negra" - 19 de outubro de 1987 – falhas na bolsa de valores dos EUA mostraram que a tecnologia tornou a vida muito pior. O índice Dow Jones caiu em média 508 pontos, ou 22,6%. As condições normais de mercado se recuperaram um tempo depois, mas a SEC reportou posteriormente que estratégias computacionais erradas utilizadas por investidores aumentaram os volumes de ações transacionadas em 68%. O dia terminou com um pânico tamanho que desencadeou uma sanha vendedora das ações.

Fonte:Computerworld

segunda-feira, 16 de abril de 2007

Os 25 horrores da TI de todos os tempos

Bah.. A edição norte-americana da CIO Magazine criou uma lista com os 25 fatos de TI mais desastrosos de todos os tempos divididos em cinco áreas. Irei postando as "hitorinhas" durante essa semana...

Histórias de horror em TI: dramas do ERP

ERP I: escola dos horrores
Voltar às aulas após as férias de verão pode ser um fato assustador para muitos estudantes norte-americanos, especialmente para os calouros. A última coisa necessária, nesta situação, é algum programa de computador que assombre suas vidas e torne as coisas ainda mais incertas. Em 2004, mais de 27 mil estudantes das Universidades de Massachusetts, Stanford e Indiana foram forçados a conviver com portais e aplicações de ERP deficientes, que os deixaram absolutamente perdidos. Basicamente, praticamente ninguém conseguia encontrar suas salas de aula, grades ou mesmo extratos financeiros. Um verdadeiro fracasso.

"Os calouros ficaram quase loucos porque não sabiam para onde ir." - Stefanie Fillers, ex-aluna da universidade de Massachusetts.

ERP II - o pânico continua
Escândalo de privacidade ou pesadelo do ERP: o que causou mais danos para a Hewlett-Packard? Bom, a resposta ainda está em aberto. Mas da série histórias horripilantes de TI, vale ressaltar que a implementação de um ERP em 2004 seguiu literalmente a Lei de Murphy na companhia: tudo o que podia dar errado, deu. O projeto custou cerca de 160 milhões de dólares em pedidos de backlogs e em perda de receitas. Na prática, as correções custaram mais de cinco vezes o projeto em si.

"Tivemos uma série de pequenos problemas, nenhum que tivesse sido enorme para se gerenciar isoladamente. Mas juntos eles criaram um perfeito furacão." - Gilles Bouchard, então CIO e vice-presidente de operações globais da HP.

ERP III: um exercício de agonia
Um investimento de 400 milhões de dólares na atualização de seus sistemas de supply chain dá uma imensa capacidade de compra para sua empresa, certo? Nem sempre. Em 2000, um sistema trouxe perdas de 100 milhões de dólares em vendas, quedas de 20% nas ações e uma avalanche de processos à Nike. Isso graças a uma tentativa para lá de frustrada de integrar ERP, planejamento de supply chain e CRM em um único sistema super herói. Para as demais companhias norte-americanas, uma lição de infortúnio e alerta.

"Para aqueles que pretendem seguir esse tipo de coisa: nós nos tornarmos um marco [para implementações fracassadas]." - Roland Wolfram, vice-presidente de operações globais e tecnologia da Nike.

ERP IV: doce miséria
Gaste um dólar para perder um dólar. O que? Não é assim que os sistemas deveriam funcionar. Mas foi esse o resultado da tentativa da fabricante de alimentos Hershey's em 1999 em criar um sistema "enfeitado" para emissão de pedidos e distribuição. O detalhe era que o projeto nem sequer chegou a funcionar, evitando que a Hershey's distribuísse 100 milhões de dólares como quem está comprando doces baratos. No entanto, as ações da companhia caíram 8% no dia em que o então CEO Kenneth Wolf anunciou a falha no sistema.

"Não há dúvida de que 1999 foi um ano difícil e desapontador para a Hershey’s Foods, ao passo que vendas e ganhos caíram significativamente, assim como nossa expectativa de mercado. Isso aconteceu principalmente em virtude dos problemas com serviço ao cliente e reposição, resultantes da fase final de nossos novos sistemas de negócios e processos nessas áreas." - Kenneth L. Wolfe, ex-presidente e CEO da companhia, em um comunicado à imprensa.

ERP V – morte súbita
O último conto de horror de ERP relata a experiência da distribuidora farmacêutica FoxMeyer Drug – e acende todas as luzes de alerta aos CIOs interessados em conduzir uma implementação desse tipo. Depois de colocar em funcionamento o SAP R/3 na metade dos anos 90, a companhia foi à falência. Os controladores abriram um processo avaliado em 500 milhões de dólares contra a gigante alemã. A empresa co-implementadora, Andersen Consulting, também foi processada em 500 milhões de dólares, diante da alegação de que os esforços de instalação do software contribuíram para a companhia ir para o buraco.

"Em 23 de junho de 2004 a SAP chegou a um acordo com a FoxMeyer em que foi imposto à companhia alemã o pagamento de uma certa quantia. Nele, todas as disputas e litígios remanescentes foram eliminados por ordem da Corte de Falências norte-americana de Delaware, datada de 30 de agosto de 2004. A SAP pagou a quantia a FoxMeyer em 9 de setembro de 2004." - Trecho do relatório anual de 2004 da SAP.

E você, teve alguma experiência desastrada em ERP?
Fonte: Computerworld

sexta-feira, 13 de abril de 2007

Google lança novo serviço para busca em equipamentos móveis

Google lança novo serviço para busca em equipamentos móveis

O novo serviço de buscas móvel do Google chega ao mercado no mesmo dia em que o rival Yahoo lançou o seu serviço de publicação móvel.

O Google divulgou um novo serviço de busca para equipamentos móveis. Lançado em março, ele pode ser acessado de um browser móvel e personalizado para fornecer informações pré-selecionadas, como tempo, notícias, ações e localização geográfica.

O novo serviço de buscas móvel do Google chega ao mercado no mesmo dia em que o rival Yahoo lançou o seu serviço de publicação móvel em conjunto com uma rede de anúncios para equipamentos móveis.

No começo deste ano, o Yahoo também introduziu uma nova versão de seu serviço de busca móvel, chamado de OneSearch.

Os dois concorrentes estão se esforçando para refazer suas ferramentas para este mercado, reconhecendo que as necessidades dos usuários móveis são diferentes da dos de computadores.

Enquanto o Google já dominou o mercado de buscas para computadores, a liderança no emergente mercado de buscas em aparelhos móveis ainda está em aberto.

Fonte: IDG News Service - Miami

quinta-feira, 12 de abril de 2007

Certificação Suse Linux no Brasil

Certificação Suse Linux no Brasil

A Novell, fornecedora de soluções para empresas que utilizam padrões abertos, lança este mês o primeiro centro de certificação SUSE Linux brasileiro. A iniciativa vem para acabar com a necessidade das multinacionais de terem que homologar seus produtos fora do país. Além disso, o governo solicita que o produto que contenha SUSE Linux deve também ser homologado oficialmente pelo fabricante.

De acordo com Carlos Annunciação, diretor de Canais e Alianças da Novell do Brasil, a presença de um Centro de Certificação SUSE Linux de Hardware na América Latina é de suma importância, pois se trata de uma peça chave em todo o ecossistema que se forma em torno do SUSE Linux. A idéia do Centro foi consolidada em 2006, quando a empresa começou a buscar parceiros com soluções próprias de Hardware e Software para serem utilizadas no sistema operacional SUSE Linux.

Feito isto, Annunciação conta que eles conseguiram identificar a melhor localidade, o foco do parceiro e escolheram a MSPBrasil, empresa do grupo BL com 20 anos de atividades no mercado e core business em processos e ITIL para América Latina, para conduzir os testes.

Inicialmente, o Centro de Certificação homologará HW em SUSE Linux e Netwar e posteriormente expandirá os trabalhos para homologar a todos os parceiros da América Latina.

Fonte: B2B

quarta-feira, 11 de abril de 2007

Para onde vai seu tempo?

Para onde vai seu tempo?

Uma pesquisa realizada pela Micrsoft com 38.112 profissionais de 200 países trouxe á tona uma revelação bombástica. Os brasileiros se vêem produtivos em apenas 6 em cada dez horas de trabalho, muita gente perde tempo cumprindo tarefas que não dão resultado nenhum.
Quando perguntados sobre o que interrompe a produção diária os brasileiros que foram pesquisados responderam que são fatores como apagar incêndio de alguma crise de última hora, além de conversas paralelas (o famoso vaivém da radio-peão). São obstáculos que atrapalham profissionais do resto do mundo, mas não com tanta força.


Veja quantos entrevistados disseram que perdem tempo com os itens relacionados abaixo:

terça-feira, 10 de abril de 2007

Truques da negociação

Truques da negociação

Quando o caldo entorna...

Em negociação não existem receitas prontas. Cada situação é diferente e exige uma abordagem adaptativa. Contudo, alguns princípios básicos ajudam a contornar os casos mais difíceis:

1. Não reaja prontamente;
2. Sempre busque opções - não uma, mas pelo menos três;
3. Examine os prós e contras de cada opção, depois aja. Observe cuidadosamente as reações de seus oponentes, e realize os necessários ajustes;
4. Confie em sua intuição e verifique as vibrações vindas do outro lado;
5. Administre a ambigüidade.

Evite palavras incitadoras da discórdia

Psicólogos e sociólogos concluíram que algumas palavras prenunciam 'perigo'. Tais palavras aborrecem as pessoas rapidamente. Uma vez que sua meta na negociação é chegar a um acordo e a uma solução, você precisa evitar palavras que deixem os outros em posição negativa e de defesa. Conheça algumas e evite-as:

1. "Você": Esse simples pronome, quando utilizado excessivamente, é o mesmo que apontar um dedo para outra pessoa. É por isso que frases com "eu" são tão importantes quando você negocia. Estudos concluíram que quanto mais a pessoa utiliza o pronome "você", mais aborrecida a outra pessoa fica. Então, formule suas frases com comentários do tipo: "Eu prefiro que levemos uma conversa tranqüila" (no lugar de "Como você ousa gritar comigo?") ou "Eu fico irritado quando isso acontece" (no lugar de "Você me deixa muito louco!")

2. "Mas": Essa conjunção é negativa. Nega tudo o que veio anteriormente a ela e automaticamente leva por água abaixo o processo de negociação. Se você disser: "Você é um funcionário estimado, mas quero falar com você a respeito de seu atraso no trabalho", terá negado a afirmação positiva de que o funcionário é estimado. Se você substituísse a conjunção "mas" por "e", diria: "Você é um funcionário estimado, e quero falar com você a respeito de seu atraso no trabalho". Essa afirmação dá igual valor a ambas as frases e não nega o que é positivo.

3. "Não dá": Sua avó lhe disse para nunca usar essa palavra e ela estava certa. "Não dá" implica falha, o que significa que uma pessoa nunca mudará. Quando você diz ao outro: "Não dá para entender você", isso implica que você nunca o entenderá, o que faz qualquer tentativa de negociação parecer inútil.

4. "Sempre" ou "Nunca": Generalizações como essas implicam que alguma coisa acontece 100% do tempo. "Você está sempre atrasado para o trabalho. Nunca aparece na hora". Mas raramente, ainda que vez por outra o seja, é uma pessoa, coisa ou fato "sempre" ou "nunca". Você está exagerando quando quer dizer que algo seja dessa maneira. É muito difícil alguém gostar de ser o destinatário de uma acusação do tipo "sempre/nunca". Evite essas duas palavras quando negociar.

5. "Deveria ter" ou "Teria que ter": A família do "faria", "deveria", "teria", "teria que" ou "poderia ter" exige que as pessoas cumpram a satisfação de seus padrões.


Fonte: Você S/A

segunda-feira, 9 de abril de 2007

Para pessoas especiais

Para pessoas especiais
Mário Quintana

Não quero alguém que morra de amor por mim...
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com Intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber
que eu, em algum momento, fui insubstituível...
E que esse momento será
inesquecível...
Só quero que meu sentimento seja valorizado.

Quero sempre poder ter um sorriso estampando meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém... e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.

Queria ter a certeza de que, apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento... e não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude,
para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.

Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe...
Que ele é superior ao ódio e ao rancor,
e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.

Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...
Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".

Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros...
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...
e que valeu a pena!!

terça-feira, 3 de abril de 2007

Os Sintomas Gays

Os Sintomas Gays

1.Se você chega aos 30 anos sem pança, na certa você é gay. Sem mais a acrescentar.

2.Ter um gato. Só um homossexual consumado teria um gato. Um gato é a versão boiola do cachorro. Lava-se com a própria língua, come peixe e nunca se embriaga. Ou seja, um homem que mora sozinho com um gato vive uma profunda relação gay. Veja bem: a gente chama um cachorro com toda dignidade masculina: "ô bosta de cachorro, venha cá", "deita, caralho!". Já um gato: Tsi, tsi, tsi", "vem cá gatinho peludinho".......

3. Usar robe de cetim, ter aperto de mão frouxo, gostar de filmes românticos e de artes, consulta cartomante, tarô, numerologia, gosta de ler: Cláudia, Nova ou MarieClaire, assina Criativa, Molda Moldes ou capricho.

4. Não ir caçar ou pescar porque no lugar não tem banheiro. Que frescura. Homem que é homem caga em qualquer canto.

5. Pedir café descafeinado, café com leite desnatado, ou, cúmulo, Coca light Viadinho! Café tem que ser forte e amargo, coisa de macho! Você só pode colocar conhaque ou uísque, o resto é coisa de mulherzinha.

6. Saber o nome de mais de quatro tortas ou bolos. Onde já se viu um cabra macho entrar num bar e dizer: "Desculpe, você poderia me dar um pedaço de bolo de ameixa e um brownie". Com mais de 20 times na primeira divisão, cada um com pelo menos 25 jogadores, e você ainda reserva espaço na memória para se lembrar de nome de torta?

7. Alimentar o cachorro com comida para cães. Bichinha! As multinacionais inventaram a comida para cães para deixá-los afrescalhados. O cachorro come o que cair no chão ou senão o que desenterra. Depois de comer essas porcarias enlatadas tornam-se afeminados. Já não bebem água de torneira, afinam o latido, não cheiram nada podre e param de correr atrás do gato.

8. Brincou de papai e mamãe na infância e era sempre a mãe nas brincadeiras, pronuncia a palavra "MA-RA-VI-LHO-SA" com separação silábica, fez troca-troca até os 17 anos.

9. Dirigir com as duas mãos é viadagem. Se os caubóis consegue enlaçar os touros com uma só mão, por que um homem precisaria de duas mãos para segurar o volante? As duas mãos no volante apenas em tais momentos: para ultrapassar ou buzinar para a madame do carro da frente. No resto do tempo a mão direita tem que ficar livre para poder sintonizar a emissora de rádio, falar ao telefone, fumar, segurar um sanduíche ou uma lata de cerveja, e principalmente ficar passando a mão na coxa da co-piloto.

10. Verificar a data de validade dos produtos no supermercado é coisa de frutinha. Homem de verdade não olha para essas coisa porque é imune aos alimentos vencidos. Que mal podem fazer um leite azedo ou uma carne esverdeada?

11. Tocar verduras para escolher qual a melhor para comprar, sem lugar a dúvidas, é coisa de mulherzinha. Homem de verdade não se importa com o estado das verduras, pelo contrário, podem ajudar na produção de gases, para depois se divertir com os amigos na disputa de quem solta o peido mais fedido e barulhento.

12. Gosta de dançar? Os homens só dançam para descolar uma mina, mas daí dizer que gosta vão centenas de quilômetros de pederastia.

13. Repara demais no modo de vestir de uma guria e pode se lembrar qual a cor do seu vestido? Biiiiiiiiiiichaaaaaaaa!!!!!!!! Homem de verdade só se lembra da qualidade dos airbags e do pára-choques da menina.

14. Achar homem bonito, acompanha e grava novela quando sai de casa, assiste Hebe Camargo, acha que a mulher tem direitos.

15. Aquele que recebe e reenvia emails sobre amizade, amor, ternura e outras balelas que ainda por cima vêm ilustradas com fotos de crianças, flores, anjinhos, natureza e bichinhos, e para piorar ainda ameaçam que se não repassar, algo de terrível lhe vai acontecer.

16. Tomar caipirinha com adoçante. Ahhh... isso é muito viado, é a essência da boiolice!! Macho mesmo toma caipirinha com açúcar, porque com adoçante deveria se chamar caibichinha.